Renovação Carismática Católica - Arquidiocese de Florianópolis/SC
Igreja
 
 
25
Nov
Terço na Praça São Pedro por ocasião da festa de Nossa Senhora de Guadalupe
Terço na Praça São Pedro por ocasião da festa de Nossa Senhora de Guadalupe





A oração do Terço na Praça São Pedro em 12 de dezembro, dia em que se celebra a memória litúrgica de Nossa Senhora de Guadalupe - que este ano coincide com o III Domingo do Advento -, será dedicada à "padroeira de toda a América e das Filipinas”. O Terço será marcado por cantos, orações e invocações especiais, com as cinco dezenas da "Ave-Maria" conduzidas por "representantes de diferentes povos e culturas".


A Pontifícia Comissão para a América Latina (PCAL) prestará assim homenagem a Nossa Senhora de Guadalupe, "na proximidade e fidelidade ao Sucessor de Pedro", informa um comunicado. O encontro de oração na Praça de São Pedro culminará com o Angelus do Papa. A rezar à "Mãe de todos", em memória das aparições ocorridas entre 9 e 12 de dezembro de 1531 na colina de Tepeyac, ao norte de Cidade do México, quer ser "um nós tão grande quanto toda a família humana", movido "pela fé, pelo amor e pela esperança".


Oração pelos "descartados" e pelas vítimas da Covid-19


Em conformidade com as medidas anti-Covid, o órgão da Cúria Romana criado por Pio XII em 1958 com o objetivo de "consultar e ajudar as Igrejas particulares na América Latina", convida o Povo de Deus, a "comunidade latino-americana e filipina presente em Roma, residentes e peregrinos, religiosos e religiosas, cardeais e bispos, membros do Corpo diplomático e da Cúria Romana", a se reunirem na Praça São Pedro para invocar a intercessão de Nossa Senhora "como sinal de 'unidade na diversidade'". Serão feitas orações pela Igreja católica no mundo inteiro, com atenção particular ao "grito dos descartados nas periferias existenciais" e uma lembrança especial das vítimas das pandemias, sobretudo as da Covid-19. O momento de oração será concluído pelo presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, cardeal Marc Ouellet.


A Virgem "morenita" e o santuário a ela dedicado


As aparições da Virgem "morenita" estão ligadas a Juan Diego Cuauhtlatoatzin, um indígena que se converteu ao cristianismo. Nossa Senhora apareceu-lhe com os traços de uma jovem mestiça, pedindo-lhe que dissesse ao bispo Juan de Zumárraga para construir uma capela a ela dedicada. Duvidando da veracidade da mensagem, o prelado pediu um sinal. Em 12 de dezembro de 1531, em pleno inverno, Nossa Senhora deixou crescer rosas perfumadas no terreno rochoso da colina de Tepeyac. Juan Diego recolheu-as em seu manto e quando o abriu diante do bispo, enquanto as rosas se espalhavam pelo chão, ocorreu um milagre: a imagem de Maria apareceu miraculosamente no tecido. O bispo acreditou em Juan Diego e construiu o que a Virgem "morenita" havia pedido. Desde então, inúmeras pessoas abraçaram a fé cristã. Hoje, o Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe está no lugar da antiga capela. Juan Diego foi beatificado (6 de maio de 1990) e canonizado (31 de julho de 2002) por João Paulo II.



Fonte: Vatican News

Compartilhe está Notícia
Indique a um amigo
 
 

Copyright © 2014 Renovação Carismática Católica - Arquidiocese de Florianópolis/SC. Todos os direitos reservados.